Ninfomaníaca – Definição, sintomas e tratamento

Ninfomaníaca ou o transtorno sexual compulsivo é a disfunção onde a mulher sente uma vontade incontrolável de manter relações sexuais. Tal transtorno é conhecido popularmente como ninfomania, mas na verdade ninfomaníaca se refere apenas ao comportamento sexual compulsivo de mulheres, quando ocorre no homem, a nomenclatura correta é satiríase.

Na literatura psiquiátrica, há diversas nomenclaturas que se referem ao mesmo tipo de comportamento, como: transtorno do desejo sexual hiperativo, compulsão sexual, hipersexualidade ou apetite sexual hiperativo.

Apesar dos diferentes nomes para o fenômeno da ninfomania se referirem sempre ao desejo sexual, o que determina esse transtorno não é apenas um excesso de desejo sexual, mas sim a falta de controle sobre o desejo sexual excessivo.

Caracterização e diagnóstico da ninfomaníaca

Para que um conjunto de comportamentos possa ser enquadrado como um transtorno sexual compulsivo ou uma disfunção, muitas pesquisas são feitas buscando categorizar as razões e os padrões que determinam aquele comportamento.

No caso da ninfomaníaca, os especialistas não chegaram a um consenso sobre o tipo de transtorno e a classificação correta  que caberia a ele. Muitos entendem que o comportamento sexual excessivo característico da ninfomaníaca seria um tipo de adicção, um vício como em drogas, bebidas ou jogo.

 

Outros acreditam que essa falta de controle sobre o desejo sexual caracteriza um transtorno obsessivo-compulsivo com caráter sexual, ou ainda se encaixaria como parte de outros transtornos de personalidade, como borderline ou histrionismo.

Para que se chegue a um consenso, que irá facilitar o diagnóstico da ninfomaníaca,muitas pesquisas estão sendo feitas em instituições internacionais e nacionais como a Unifesp. E o que já se sabe até o momento é que:

• a pessoa tem fantasias sexuais de forma recorrente e intensa;

• as fantasias sexuais ou impulsos sexuais ocorrem com tal frequência e sem controle que atrapalham a concentração em outras atividades, como trabalho e estudos;

• há sofrimento causado nas relações interpessoais;

• não há evidencias de outros transtornos como uso de substâncias ou episódios de mania.

Além disso, considera-se que o comportamento da ninfomaníaca com transtorno sexual compulsivo pode ser apresentado com os seguintes aspectos: masturbação excessiva, relação sexual com um ou diversos parceiros, compulsão por diversos relacionamentos afetivos, uso abusivo de objetos ou brinquedos sexuais, uso abusivo de pornografia e sites eróticos e de relacionamentos direcionados para fins sexuais e ainda canais de sexo via telefone.

<img src=”http://www.saudesublime.com./imagem.gif” alt=”ninfomaníaca-desejo-sexual-sem-limites” />

Tais comportamentos ocorrem muitas vezes mesmo  na presença de dor física e ocasionam dificuldades no relacionamento conjugal e familiar. Ainda observa-se que gera dificuldades nos relacionamentos com amigos e no trabalho.

Podemos concluir então que a compulsão sexual da ninfomaníaca pode se referir apenas a presença de um desejo sexual incontrolável que atrapalha a vida pessoal ou ainda pode se referir também a busca excessiva de relações sexuais (com o mesmo parceiro, com diversos, sozinho ou se utilizando de outros meios para tal) impulsionadas por essa falta de controle do desejo excessivo.

Portanto, considera-se que o comportamento da ninfomaníaca sejam observados por mais de seis meses, podem também, assim como as outras disfunções sexuais, ocorrer após a experiência de uma vivencia traumática ou juntamente com outros transtornos como ansiedade, paranoia ou depressão.

Há também tipos específicos de lesões cerebrais que podem estar relacionadas ao comportamento sexual compulsivo.

É comum ainda observar que há relatos de mulheres com anorgasmia e ninfomania, ou seja, a mulher mesmo não tendo orgasmos procura compulsivamente por sexo ou sobre o sexo com o pensamento compulsivo.

Isto ressalta que se trata principalmente de um distúrbio em relação ao controle do desejo e do comportamento sexual e não da presença excessiva de desejo sexual, mesmo que a pessoa não sinta prazer ou sinta dor com o ato sexual, ela ainda não consegue controlar o comportamento.

A mulher que sofre do transtorno sexual compulsivo pode estar colocando em risco a sua saúde sexual, o comportamento impulsivo e descontrolado pode levar a pessoa a ter relações sem preservativos ou ainda a lesionar a região genital com a masturbação excessiva e sem lubrificação adequada.

Vale ainda considerar que tal comportamento na ninfomaníaca pode levá-la a se colocar em situações de risco para a própria segurança. Por isso a avaliação do histórico e dos relatos é importante para avaliar em que grau tais comportamentos tem afetado a saúde e as relações da pessoa.

Tratamento da ninfomaníaca

Os estudos científicos até o momento não conseguem identificar nenhum tipo de alteração orgânica principal ou ainda de um componente genético que esteja relacionado com o comportamento de quem é ninfomaníaca ou que possua compulsão sexual.

Em virtude disso, a linha principal para o tratamento deste problema consiste em oferecer formas de reduzir a necessidade de sexo que os pacientes com esta alteração possuem bem como resolver os seus problemas emocionais e psicológicos que levaram ao surgimento deste tipo de situação.

Como esta alteração gera uma série de problemas sociais para quem o possui como inadequações no trabalho, em casa e com os amigos é preciso que ao iniciar o tratamento ocorra a cooperação e auxílio de todos para que o sucesso seja garantido.

A anorgasmia pode ser um dos motivos que leva a mulher a um comportamento maníaco pelo sexo considerando que a ausência de orgasmo provoque uma necessidade de busca da satisfação, condição que pode provocar uma constante excitação e disposição para a prática sexual. O pompoarismo deve ser considerado nesse caso, já que é uma prática que proporciona orgasmos múltiplos sempre a mulher que o pratica.

ninfomaníaca

Como realizar o tratamento para ninfomaníaca

De maneira inicial é preciso que as pessoas portadoras de compulsão sexual comecem um acompanhamento com terapeutas sexuais, psiquiatras e psicólogos os quais irão verificar os eventos que levaram ao surgimento deste comportamento e suas características individuais para cada paciente.

De posse destas informações será possível conseguir realizar a delimitação de um plano para resolver este problema que geralmente conta com o uso de medicamentos antidepressivos.

Esta escolha ocorre porque, muitas vezes, o desejo descontrolado por sexo é instalado em virtude de algum tipo de transtorno psiquiátrico ou ainda por situações vividas – como abuso sexual – que precisam da melhoria do psicológico para ter a situação resolvida.

Estes medicamentos têm como principal característica a propriedade de regular a serotonina no organismo dos pacientes fazendo com que ocorra um maior autocontrole, melhoria do humor enquanto reduz a ansiedade, pensamentos obsessivos e a libido em excesso.

Para complementar os benefícios dos medicamentos é necessária a realização de seções de terapia que podem ser tanto do casal como de grupo com pessoas que enfrentam o mesmo tipo de problema sendo que estas ações juntas permitem redução do impulso excessivo existente e se consegue ainda a solução da causa que levou ao surgimento deste comportamento.

 

Outro cuidado importante para o tratamento de quem é ninfomaníaca consiste em ter um acompanhamento constante com um ginecologista porque pelo costume de muitas relações sexuais com pessoas diferentes e a masturbação excessiva podem ocorrer lesões na região genital e ainda adquirir doenças sexualmente transmissíveis.

Mas se todas estas opções de tratamento não obtiverem resultados é preciso realizar a internação da paciente para evitar o excesso de estimulação garantindo o tratamento de forma integral e efetiva.

Em virtude de todas as possibilidades de tratamento existem diferentes métodos para garantir os resultados sendo que um dos melhores existentes consiste no Tratamento Personal Care.

Este tratamento é oferecido pela Clínica Terapêutica Viva consistindo em um plano completo para tratar quem é ninfomaníaca ou possui compulsão sexual com o oferecimento de medicamentos e técnicas variadas.

Dentre o seu diferencial está a oferta de terapia cognitivo-comportamental com psicólogos especializados que ensinam as pacientes a controlar os seus impulsos sexuais obtendo relações sentimentais duradouras e saudáveis bem como reduz a ansiedade e a carência afetiva que possua.

E todo este atendimento é feito de maneira discreta com as sessões e atendimentos sendo agendados e realizados com o máximo de sigilo e privacidade evitando constrangimentos aos interessados.

A sexualidade também é abordada neste outro interessante artigo aqui. Anorgasmia feminina ou vaginismo são disfunções das quais você pode querer conhecer mais.  Disfunções masculinas como impotência e ejaculação precoce também estão abordados.

Você gostou do artigo? Deixe um comentário, compartilhe com seus amigos.

 

 

Comentários

  1. mii diz

    sou casada tenho 18 anos e ja sinto todos os sintomas de uma ninfomaniaca sinto vontade o tempo todo mas sou fiel mas oq acontece meu marido nao e igual a mim e eu quero toda hora ja procurei uma sexologa mais nao axei nenhuma na minha cidade oq faço ..

  2. daniel diz

    Oi tb sofro do mesmo que vc porem sou homem me masturbo de 3 a 7 vezes todos os dias so penso em sexo e isso desde os meus 5 anos de idade

    • Charles diz

      Meu caro daniel, (nome de profeta), pare de se masturbar, apenas… faça sexo com toda e qualquer mulher (ou homem) que você vir na sua frente e LI-BER-TE-SE! Liberte-se da hipocrisia deste mundo pseudo científico que quer varrer para debaixo do tapete toda e qualquer forma de “comportamento ou pessoa anormal”, use seu corpo, vigorosa e libertinamente, atingindo o Monte Everest do prazer sexual e destrua qualquer traço de moralismo científico, político e religioso! Foda-se!

  3. Alana costa diz

    eu sofro de transtorno compulsivo sexual, e o artigo me ajudou a ver mais coisas do que eu já sabia sou estudante de psicologia mas eu mesma faço terapia pra me controlar. só uma dica, sair fazendo com todo mundo não vai ajudar isso só vai trazer mais vontade e frustração por não ter conseguido atingir a satisfação que você queria. falo por experiência.

  4. Maira diz

    tenho 20 anos e desde os 12 que me masturbo, sou mulher, e somente aos 17 tive minha 1 relação sexual, e a poucos meses atrás atingi o orgasmo, cada dia mais estou ficando pior tenho namorado mas ele não me satisfaz, me sinto muito culpada por trair ele, e traio simplismente para usar as pessoas se eu não gosto, não fico mais e assim saio usando as pessoas, não gosto de mulheres adoro homens mas para satisfazer já cheguei a ficar com mulheres, sinto uma vontade enorme de dar e receber prazer sexual o tempo todo, tenho todos os sintomas, e cada dia que passa estou com mais medo, mas eu sinto prazer em imaginar, e estou a um nível que já olho para as pessoas e imaginando tendo relações, não pensar todos os dias eu me masturbo e as vezes mais de duas vezes.

  5. FABRICIA diz

    SOU CASADA TENHO 37 ANOS E JÁ SINTO OS SINTOMAS.ME MASTURBO TODOS O DIAS DE HORA EM HORA.FICOA HORAS EM SITE DE PORNOGRAFIA COLOQUEI ANUNCIOS QUE QUERO CONHECER HOMENS PARA FAZER SEXO.TENHO UM PENIS DE BORRACHA DE 26 CM E AINDA NÃO ME SASTIFAZ.NO TRABALHO PASSO ALGUMAS HORAS NO BANHEIRO ME MASTURBANDO E COMO UM VÍCIO INCONTROLÁVEL .POR EXEMPLO SÓ DE OUVIR OS RELATOS AQUI JÁ ESTOU MASTURBANDO.

  6. Amanda diz

    Olá, me chamo Amanda tenho 18 anos, não tive minha primeira relação, mas desde meus 9 anos me masturbo, sempre procuro coisas eróticas na internet, não consigo me concentrar em nada, sempre estou pensando em sexo, ou imaginando coisas do tipo. Na escola, ou em qualquer lugar imagino que estou transando, com homens, e mulheres. E por isso não me concentro em nada. Se eu vejo alguém na rua, atraente, sempre tenho pensamentos impuros quando chego em casa, chego a me masturbar diariamente em um só dia. Sou completamente viciada em contos sexuais, e, costumo a ler mais de 60 contos por dia, ou mais. Sei que isso é errado, mas não consigo parar de pensar coisas do tipo. Não tenho namorado, e, por isso preciso me satisfazer sozinha. Já fui para um psicologo, mas nunca tive respostas concretas, estou achando que sou uma ninfomaníaca. PRECISO DE AJUDA.

    • André diz

      Oi Amanda, eu já fui assim, procurei uma terapia sexual que me ajudou bastante.
      Outra coisa que me ajudou foi o sexo tântrico. Você se descobri a o próprio prazer te ajuda na terapia.
      Procure um especialista que com certeza vc tera bons resultados.

      Abraços

  7. jessica diz

    Eu tenho 18 anos do ouvi falar da ninfomania com meu namorado. Pesquisei e acho que sou. Eu não fico satisfeita atinjo o orgasmo e quero mais e mais… ja houveram dias que eu fiquei com a vagina dolorida e até com feridinhas e mesmo assim cheia de vontade…eu me masturbo todos os dias duas a três vezes! eu adoro transar com meu namorado, sou fiel a ele. Quando transamos eu gosto pq ele mostra cara dele de prazer por mim. Olha que nós ja vivemos juntos e isso me deixa ainda mais com prazer pq eu tenho ele perto de mim… nao procurei um psicólogo pq aqui é muito caro mas ele disse que pode pagar… ele ja não aguenta e diz que eu vou matar ele. Gente me ajudem isso ja está passando do controle

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>